sexta-feira, 11 de junho de 2010

A Importância dos Fungos

Os fungos podem provocar a decomposição de restos de animais e vegetais. Eles agem como decompositores nos diversos ambientes.Ao degradarem restos de organismos, deixam no solo muitos nutrientes importantes para o crescimento dos vegetais.
As leveduras são usadas na produção de bebidas alcoólicas, como a pinga (cachaça), a cerveja e o vinho. As leveduras também ajudam a fazer o pão crescer e deixá-lo mais fofo.
Desde a década de 1940, os fungos são usados na produção de antibióticos, e, mais recentemente, várias enzimas produzidas por fungos são usadas industrialmente e em detergentes. São também usados como agentes biológicos no controlo de ervas daninhas e pragas agrícolas.

Bolores Aquáticos

Os citridiomicetos são fungos aquáticos que possuem zoósporo (esporo assexuado que possui flagelo, uma adaptação dos fungos aquáticos).Os citridiomicetos são um grupo de fungos gelatinosos, que aparecem em ambientes aquáticos e terrestres, sendo úmidos e sombrios. Apresentam parede celular com celulose (não há quitina). São na maioria saprófagos. São unicelulares. Esses fungos são filamentosos, com hifas multinucleadas.
Os quitrídios são predominantemente aquáticos. Têm gametas flagelados. Os quitrídios podem ser de água doce ou marinha, parasita de plantas e insetos dípteros ou saprófagos.

Ascomicetos





Leveduras, morquelas, trufas e orelhas de pau são exemplos de fungos desse grupo.
O levedo de cerveja (Saccharomyces cerevisiae) é um fungo unicelular que transforma, através da fermentação, o açúcar presentes em alimentos em álcool e gás carbônico. Por isso é utilizado na produção de bebidas alcoólicas. Ele também ajuda na produção de pães (ele o deixa macio e o faz crescer).
Os ascomicetos constituem a classe mais numerosa de fungos (mais de 30.000 espécies). A característica principal é a presença de esporos chamados ascósporos, que se desenvolvem no interior de hifas especiais denominadas ascos. Os ascos se formam dentro de pequenas bolsas ou sacos. Embora sejam muito comuns os ascomicetos bem desenvolvidos e comestíveis, existem também algumas espécies microscópicas como o Penicillium matatum.
A maioria das espécies de ascomicetos é terrestre, mas existem representantes marinhos associados com algas, formando liquens.

Zigomicetos


Os zigomicetos são fungos terrestres formados por hifas de paredes quitinosas. Alguns são parasitas mas na sua maioria são saprófagos, vivendo no solo e alimentando-se de matéria orgânica morta. Possuem esporos sem flagelos e na reprodução sexuada produzem zigósporos, ou seja, zigotos de parede espessa e resistente, podendo sobreviver em más condições ambientais.
A espécie Rhizopus stolonifer é o comum bolor negro do pão que também ataca a fruta. Todos os zigomicetos formam esporos em esporângios na reprodução assexuada e formam zigosporângios na reprodução sexuada.
Estes fungos constituem um problema para a preservação dos alimentos antes de os antifúngicos serem rotineiramente adicionados aos alimentos armazenados.

Basidiomicetos


São espécies de fungos que apresentam micélio constituído por hifas dicarióticas formando o chamado corpo de frutificação. Em geral, os Basidiomicetos possuem um micélio bem desenvolvido, formado por hifas septadas, cujas paredes contém quitina. As hifas formam não só o micélio, mas também todo o fungo, inclusive o “chapéu”, sob o qual são produzidos os esporos.
No chapéu ou píleo do fungo são formados os esporos chamados basidiósporos, que são espalhados pelo vento. Quando caem em ambiente favorável (úmido e rico em matéria orgânica) cada esporo germina formando uma hifa unicariótica. Quando duas hifas se aproximam e as células do ápice juntam-se formam uma célula dicariótica. É a partir desta célula que se origina o corpo de frutificação.
Em muitas espécies, os basídios reúnem-se em corpos de frutificação com forma característica, o basidiocarpo (conhecido popularmente como cogumelo), onde os basídios constituem, juntamente com células estéreis, o himênio. Outras espécies não produzem basidiocarpos. Em muitas delas, o basídio sempre se desenvolve a partir de um esporo que germina.
Um exemplo de espécie desse grupo é a Amanita muscaria, um cogumelo venenoso.

Reino Fungi

Os fungos são um reino que possui células eucarióticas. Podem ser unicelulares ou pluricelulares. O corpo é formado por hifas (septadas ou cenocíticas). As células dos fungos apresentam paredes celulares que contêm quitina. Apresentam substancias de reserva de glicogênio. São heterotróficos, decompõem os alimentos (saprófagos). Apresentam digestão extracelular (liberam enzimas digestivas no meio ambiente, digerindo a matéria orgânica e absorvendo os nutrientes).A disciplina da biologia dedicada ao estudo dos fungos é a micologia.

quarta-feira, 14 de abril de 2010




Reino Protoctista

Características:
*Eucariotos
*Unicelulares/Pluricelulares
*Autotróficos (fotossíntese)/Heterotróficos(digestão intracelular)
*Vida Livre (Planctônicos)/Parasitas (causam doenças. Ex. Malaria - Plasmodium sp.)
*Sem tecidos (corpo formado por um talo (algas)

sexta-feira, 9 de abril de 2010

Algumas doençãs causadas por bactérias

Mycobacterium tuberculosis (bacilo de Koch) - Tuberculose
Mycobacterium leprae( bacilo de Hansen) - Hanseníase ( lepra)
Streptococcus pneumoniae - Pneumonia Bacteriana
Clostriduim tetani - Tétano
Neisseria gonorrhoeae - Gonorréia ou blenorragia
Treponema pallidum - Sífilis
Mycobacterium meningitidis - Meningite meningocócia
Vibrio cholerae - Cólera
Salmonella typhi - Febre Tifóide

sexta-feira, 2 de abril de 2010

Movimento das Bactérias - Flagelos



As bactérias móveis deslocam-se, quer através da utilização de flagelos, quer deslizando sobre superfícies, ou ainda por alterações da sua flutuabilidade.
Os flagelos bacterianos encontram-se organizados de diferentes formas: algumas bactérias possuem um único flagelo polar (numa extremidade da célula), enquanto outras possuem grupos de flagelos, quer numa extremidade, quer em toda a superfície da parede celular (bactérias "peritricosas").

Constituição das Bactérias



A célula bacteriana, por ser procariótica, não possui organelos membranosas nem DNA organizado em verdadeiros cromossomas, como os das células eucariotas.
Estruturas da célula procariota:s
1.Os pili são microfibrilas proteicas que se estendem da parede celular em muitas espécies. Servem para a troca de material genético entre as bactérias.
2.Os plasmídeos são pequenas moléculas de DNA circular que são juntas com o nucleóide. São comumente trocados na conjugação bacteriana. Os plasmídeos têm genes, incluindo aqueles que protegem a célula contra os antibióticos.
3.Há cerca de 20 mil ribossomas em um citoplasma bacteriano. Os ribossomas procariotas são diferentes dos eucariotas e essas diferenças foram usadas para desenvolver antibióticos que só afectam os ribossomas bacterianos.
4.O citoplasma é preenchido pelo hialoplasma, um líquido com consistência de gel, semelhante ao dos eucariotas, com sais, glicose e outros açúcares, RNA, proteínas funcionais e várias outras moléculas orgânicas.
5.A membrana celular é uma dupla camada de fosfolípidos, com proteínas dentro d'agua.
6.A parede celular bacteriana é uma estrutura rígida que recobre a membrana citoplasmática e confere forma às bactérias.
7.Algumas espécies de bactérias têm a cápsula, que é uma camada que protege contra desidratação, fagocitose e ataque de bacteriófagos.
8.O nucleóide consiste em uma única grande molécula de DNA com proteínas associadas, sem delimitação por membrana - portanto, não é um verdadeiro núcleo. O seu tamanho varia de espécie para espécie.
9.O flagelo é uma estrutura proteica que roda como uma hélice. Muitas espécies de bactérias movem-se com o auxílio de flagelos. Os flagelos bacterianos são completamente diferentes dos flagelos dos eucariotas.

Além dessas estruturas há também:
•Vacúolos bacterianos: não são verdadeiros vacúolos, já que não são delimitados por dupla membrana lipídica como os das plantas. São antes grânulos de substâncias de reserva, como açúcares complexos.
•Algumas bactérias podem enquistar, formando um esporo, com um invólucro de polissacáridos mais espesso e ficando em estado de vida latente enquanto as condições ambientais forem desfavoráveis.

(texto alterado de: http://pt.wikipedia.org/wiki/Bact%C3%A9ria)

As Formas das Bactérias

















• Coco : De forma esférica ou subesférica.
• Bacilo : Em forma de bastonete (do género Bacillus)
• Vibrião : Em forma de vírgula (do género Vibrio)
• Espirilo : de forma espiral/ondulada (do género Spirillum)
• Espiroqueta : Em forma acentuada de espiral.

Quanto ao grau de agregação(apenas os Bacilos e os cocos formam colônias).
•Diplococo : De forma esférica ou subesférica e agrupadas aos pares.
•Estreptococos : Formam cadeia semelhante a um "colar".
•Estafilococos : Uma forma desorganizada de agrupamento, formando cachos.
•Sarcina : De forma cúbica, formado por 4 ou 8 cocos simetricamente postos.
•Diplobacilos : Bacilos reunidos dois a dois.
•Estreptobacilos : Bacilos alinhados em cadeia.

quinta-feira, 1 de abril de 2010

Classificando os Seres Vivos

-Platão ( 428-348 a.C.):
Propos a comparação das semelhanças entre os organismos viovs e o tipo de idéia.

-Aristóteles, pai da biologia, zoologia ( 384-322 a. C.):
Propos a classificação dos seres vivos em : terrestre, aquático e aéreo ( critério Ambiental).

-Teofrasto de Eressos, pai da botânica ( 370-286 a C.):
Propos uma classificação das plantas em: ervas, arbustros, arvoretas e árvores (critério de tamanho).

-Carl von Linné - Carolus Linnaus ( 1707-1778)
Systema Nature
Reino, filo, classe, ordem , família, gênero e espécie.

quarta-feira, 31 de março de 2010

Classificação dos Seres Vivos


1. Reino Metazoa ou Animalia : composto por organismos pluricelulares e heterótrofos (não são capazes de produzir sua própria energia). Fazem parte deste grupo: animais invertebrados, vertebrados, aves, mamíferos, inclusive o homem.

2. Reino Metaphyta ou reino Plantae: seres pluricelulares que possuem células revestidas por uma membrana de celulose e que são autótrofos (capazes de produzir sua própria energia). Fazem parte deste grupo: vegetais inferiores (algas verdes, vermelhas ou marrons), vegetais intermediários (ex. samambaia) e vegetais superiores (plantas).

3. Reino Monera: composto por organismos unicelulares (formados por uma única célula) e procariontes (células que não possuem um núcleo organizado). Fazem parte deste reino: as bactérias e algas azuis ou cianobactérias (antigamente eram consideradas como vegetais inferiores).

4. Reino Fungi: composto por seres eucariontes (núcleo organizado e individualizado) que podem ser uni ou pluricelulares. Fazem parte deste reino: os fungos elementares e os fungos superiores (antigamente eles eram classificados como vegetais inferiores).

5. Reino Protista: formado por seres unicelulares e eucariontes. Estão presentes neste reino: protozoários (giárdias, amebas, tripanossomas) e algas inferiores ou eucariontes.

Fósseis

Fósseis
Os fósseis são restos ou vestígios de seres vivos (animais ou vegetais) que foram preservados até a atualidade por milhares ou até milhões de anos. Esta conservação do fóssil ocorre graças aos fenômenos da natureza (gelo, argila, aridez do solo e minerais).

A importância dos fósseis
Estudando os fósseis e comparando-os com os seres atuais, os cientistas descobriram que os animais e os vegetais foram se modificando através dos tempos. Enquanto alguns tipos se extinguiram, outros sofreram transformações, dando origem aos que conhecemos atualmente.
O estudo dos fósseis auxilia a compreensão das modificações sofridas pelas espécies de seres vivos através dos séculos.

terça-feira, 30 de março de 2010

Célula Animal

Célula Vegetal

Teoria Celular

Todo ser vivo é formado por célula; e essas são os unidades morfológicas e fisiológicas dos seres vivos.

morfo - forma
Fisio - função
logia - estudo

Os seres vivos podem ser unicelulares ou multicelulares. Os procariotos são aqueles que apresentam material genético solto no interior da célula, os eucariotos são os que apresentam núcleo delimitadopor uma membrana

Teorias que expilicam a origem da Vida

-Teoria de Aristóteles - Sec. IV a.C. - Abiogênese:
Afirma que a matéria bruta pode gerar vida, pois apresenta um "princípio ativo", uma "energia vital"

-Teoria de Arrhenius - Extraterrestre:
A vida teria se originado em outros locais do universo e veio parar na Terra de "carona" em cometas, meteoritos,poeira cósmica.
Um meteorito que teria vindo de marte (AH84001) foi encontrado aqui na Terra. Ele tinha uns microorganismos semelhantes a uma célula bem simples. O meteorito "completa" a teoria.

-Teoria de Oparin-Haldane (1930):
Gases da atmosfera primitiva ( CH4 - metano, NH3 - amonia, H2O - vapor de água, H2S - gás sulfírico e CO2 - dióxido de carbono) se juntavam com radiação do sol, raios ultra-violeta e raios de tempestades e formavam os compostos orgânicos. Os compostos orgânicos ficavam em suspensão na água (poças), com os minerais da argila (P-fósforo) davam Aminoácidos, proteínas e ácidos gráxos, que são coacervados. Depois de um tempo, os coacervados viravam uma célula viva.